O tempo

Numa das minhas últimas leituras, dei por mim lendo umas notas do Anthony Robbins sobre gestão do tempo nas quais apresenta uma perspetiva diferente na gestão do tempo, chamando à atenção para o seguinte: já todos tivemos momentos em que as horas passam a correr e outros momentos em que um minuto parece uma eternidade. Com base nessa reflexão, aqui ficam as citações do autor sobre o assunto:

  • O tempo é apenas uma emoção, um sentimento.
  • O tempo que algo demora, baseia-se na forma como nos sentimos e os nossos sentimentos mudam quando mudamos a nossa perspetiva.
  • Quando alteramos o nosso foco, mudamos as nossas vidas. Aquilo em que nos focamos, determina a direção em que nos movimentamos.
  • A verdadeira felicidade é resultado da forma como controlamos o nosso foco. Aqueles que não focam o seu tempo nas áreas que realmente importam, vivem reagindo a 3 coisas:
  1. Tudo o que provoque dôr.
  2. Tudo o que leve ao prazer imediato.
  3. Exigências de outras pessoas.

Se treinar é deixar a zona de conforto, a tolerância ao esforço torna-se fundamental. Esta vai mudando com o treino, com o progresso.

Torna-se pois importante saber porque treinamos. Quais as razões? Daí advém grande parte da nossa motivação para o treino.

Durante o treino estamos focados nas sensações do corpo? Na tarefa que executamos ou no objetivo final?

O bem sucedido autor recomenda uma alteração na forma como pensamos sobre as nossas listas de tarefas, a fim de produzir excelentes resultados e sobretudo um elevado nível de satisfação interior. Para tal, recomenda responder com exatidão a estas 3 questões:

  1. Qual é o resultado que eu pretendo? O que é que eu realmente quero?
  2. Porque é que eu quero isso? Quais são as razões?
  3. Que ações específicas devo executar para que isso aconteça.

Esta abordagem àquilo que fazemos com o tempo, deixa-nos a pensar duas vezes quando nos agarramos a uma lista de tarefas com o simples objetivo de concluir todas as ações. Deixa-nos a questionar porque é que criamos tarefas adicionais com importancia duvidosa para a nossa vida, para os nossos propósitos finais e porque é que apenas nos sentimos bem quando muito ocupados com uma imensa lista de coisas a fazer. Será que fazemos o mais importante? Será que aproveitamos bem o tempo de exercício? Será melhor treinar 30 minutos de qualidade ou realizar 50 exercícios diferentes em duas horas?

Para quem tem visitado os vários textos do motor-humano, já deve ter verificado que temos sempre tempo para treinar e que 5 minutos por dia podem ser muito úteis para melhorar a condição física de forma significativa. Tudo depende da utilização do tempo e do valor que atribuimos ao exercício físico. Se este for uma das prioridades da nossa lista, então nunca iremos dizer: “- Não tenho tempo!”.

Só cada um sabe as razões que o fazem treinar. Podem passar por uma destas 50 ou por alguns destes benefícios, mas o certo é que devemos associar o ato de exercitar o corpo a razões suficientemente fortes que nos façam movimentar nos dias de mau tempo, que nos façam associar dias de má disposição a bons resultados no treino e que nos ajudem a manter a energia da regulatridade que é fundamental para obter resultados.

Treinar é sair da zona de conforto de forma regular para que o corpo posteriormente se adapte e estabeleça uma nova zona de conforto. Por isso, ir ao ginásio todos os dias sem nunca sair da zona de conforto será uma forma de utilização do tempo pouco eficaz para quem pretende melhorar a sua condição física e psicológica.

Então? Já tens as tuas razões poderosas para treinar?

2 Replies to “O tempo”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s