Personal Training – algumas ideias de intervenção

Diz-se que o personal training (PT) é o treino individualizado em que um professor orienta o treino de um aluno.

O PT não é um pronto a vestir onde cada indivíduo procura uma roupa que melhor se adapte ao seu corpo, ao seu estilo e à imagem que deseja projetar. O PT é um alfaiate ou uma modista que faz o vestuário à medida do cliente. Por isso, o PT que se vende nas grandes superfícies não poderá nunca ombrear com o verdadeiro treino personalizado sem rótulos do estilo: perda de peso, shape, duo, align, treino funcional. Nessas grandes superfícies, faz-se um treino aproximado, raramente um treino à medida do cliente. E não é isso que eu entendo ser o PT pelo qual se cobram rios de dinheiro.

As pessoas contratam um treinador, um coach, um trainer porque lhes faltam essencialmente 3 coisas para o êxito:

  1. Disciplina
  2. Método
  3. Controlo

Logo, o trabalho do PT deverá incidir nessas áreas. Quais as ferramentas para criar disciplina de trabalho nos alunos? Essas é a descoberta que passa muito para além da descoberta de uma boa receita, de um conjunto combinado de movimentos que se adapte às necessidades do aluno. A regularidade no treino é um dos aspectos mais importantes para se obterem resultados. Consegue-se estabelecendo objectivos específicos, mensuráveis, mas sobretudo encontrando razões fortes para conseguir alcançar esses objectivos, porque serão essas razões a força para manter o indivíduo na rota para conseguir os resultados que pretende. Isso será mais evidente nos momentos mais difíceis quando ele tiver grandes obstáculos pela frente como: a fadiga, as sensações associadas ao esforço quando está a sair da zona de conforto, a incapacidade temporaria para atingir metas intermédias, as modificações no estilo de vida, as lesões, etc.

Aos alunos falta um método adequado e que produza resultados rápidos mas consistentes em pouco tempo e apenas com 2 ou 3 horas de treino semanais. Para muitos utilizadores de ginásio que sempre treinaram com um método que implicava 2h de treino diário, durante 5 dias na semana, ao verem-se limitados no tempo, não sabem treinar com 15 minutos por dia e obter resultados idênticos ou melhores. Falta-lhes uma metodologia de treino eficaz para as necessidades deles naquela fase de vida. Isto ocorre com muitos jovens estudantes que quando terminam os seus cursos e entram no mercado de trabalho, se sentem sem recursos para treinar com a eficácia anterior, porque já não têm os mesmos níveis de energia física e mental, porque já não vivem no mesmo local, porque alguns já constituíram família ou partilham casa com alguém. Todo um conjunto de mudanças que faz com que a metodologia que antes resultava, passe a não servir para o desafio actual.

O processo de controlo passa por um bom registo de treino, um acompanhamento telefónico, via internet e com objetivos desafiantes estabelecidos em conjunto pelo PT e pelo aluno.

O registo de treino deverá conter as variáveis fundamentais como os exercícios, a duração, as cargas, os tempos e distâncias bem como outras variáveis que ajudem a identificar os factores influentes no rendimento.

Chave do êxito do personal trainer andará próxima deste modelo:

Objetivos – Intensidade – Resultados – Motivação – Fidelização

Primeiro temos de definir objectivos e metas intermédias. Saber o que o cliente deseja específicamente. Se nos apresenta objectivos estéticos temos de os transformar em objectivos funcionais. Por ex: se alguém nos diz que quer perder 3kg, primeiro temos de transformar essa afirmação negativa numa positiva (ex: quero pesar 67kg), depois temos de saber quando quer atingir esse objectivo (ex: quero pesar 67kg em Julho de 2013) e depois descobrir as verdadeiras razões pelas quais essa pessoa quer tanto esse objectivo. Seguidamente vamos transformar esses objectivos em performance. Imaginemos que o aluno é capaz de realizar no momento presente:

  • 5km em 45min
  • 50 agachamentos em 5min
  • 25 flexões de braços em 5min

Vamos então estabelecer objectivos específicos em cada um desses exercícios, pois sabemos que: se alterar a performance, irá modificar as suas estruturas e consequentemente o aspecto do seu corpo. Sempre conscientes do Princípio Natural que está na base da perda de peso: gastar mais do que aquilo que ingere. Portanto teria também de ter alguns objectivos alimentares e de sono condizentes com o seu objectivo.

A intensidade é a chave de todos os resultados. Fazer algo ao qual o corpo não está habituado, sair da zona de conforto, no fundo: treinar! Estimular o corpo não é simplesmente marcar uma cruz na folha de presenças do treino. Temos de exigir algo mais. Seja para aumentar o tónus muscular, para hipertrofiar, para perder peso, para visualizar os abdominais, para diminuir os níveis de colesterol, a solução está na intensidade.

E como motivação = resultados, será mais fácil manter o nosso aluno num programa de treino, fazendo com que ele entre num ciclo positivo onde se irá “alimentar” permanentemente. Tem resultados por isso está motivado e não abandona, continua a treinar estabelecendo novos objectivos, alcançando-os e aumentando a sua motivação vai também ensinando o cérebro que é um indivíduo de sucesso, de êxitos que se vão repetindo com objectivos progressivamente mais elevados a serem alcançados.

One Reply to “Personal Training – algumas ideias de intervenção”

Os comentários estão fechados.