Caixa de Ferramentas do Coach – Mudar Estados, Mudar o Foco e Outras Situações 2

Posições perceptuais a,b,c. (ajuda-nos a ter outra perspectiva de uma situação; pode ajudar a ter mais empatia com alguém e criar melhor rapport com essa pessoa). Podemos usar espaços diferentes, cadeiras diferentes ou uma posição do nosso próprio corpo diferente para assumir cada um dos diferentes papéis que terão diferentes perspectivas da mesma situação. A posição A somos nós, o B é o outro, o C é um observador neutro à situação. Podemos assim, como exercício, ocupando alternadamente a cadeira A, B e C ver, ouvir e sentir a situação de forma diferente recorrendo à imaginação e reflexão. O Método Disney, usado pela famosa empresa, utiliza Posição 1 – Sonhador, Posição 2 – Realista, Posição 3 – Crítico. É uma forma de usar posições perceptuais.

Role-Play (representação). Podemos simular situações, a realidade e reformular respostas, criar pequenos guiões de situações que ocorrem habitualmente.

Brainstorm. Pode ser feito de diversas formas, mas o fundamental é que ocorra uma chuva de ideias sem crítica, sem julgamento, aceitando tudo o que apareça. Criar uma lista dessas ideias numa folha, com post-its ou outra solução para posteriormente a analisar.

Modelagem (identificar modelos de sucesso no objetivo do cliente). Na maioria dos casos, quando temos um objetivo, já outros o conseguiram ou se aproximaram. Essas pessoas podem servir de referencia, de modelos. Aliás, a modelagem é a nossa forma de aprendizagem básica. Acontece com a linguagem e muitas outras aprendizagens. Quando num ginásio temos a maioria das pessoas a remar bem, a probabilidade dos novos alunos remarem corretamente é enorme, porque em caso de dúvida, as pessoas irão imitar os mais experientes, aqueles que estão ao seu lado.

Matching e Mirroring (para melhor rapport). Matching é uma forma de fazer rapport com outra pessoa, efetuando gestos que “encaixem” que sejam “compatíveis” com os do nosso interlocutor. O mirroring significa procurar ser o reflexo de tudo o que ele faz em termos de linguagem corporal, velocidade da voz, tom de voz, o volume, e mesmo a escolha das palavras. Quanto mais natural e subtil, melhor. De qualquer das formas, a pessoa vai sentir-se sempre mais confortável com alguém que procura fazer rapport com ela. Se cruzam as pernas, cruzas também, se usam as mãos ao falar, usamos também, se falam rápido, falamos rápido, se caminham rápido, nós também.

Desenhos e diagramas. São sobretudo interessantes para os indivíduos onde o lado visual tem mais importancia, favorecendo assim a compreensão de tudo o que é discutido numa sessão.

Matriz de Decisão. Colocamos as ideias em estudo na primeira coluna. Os critérios nas outras colunas e vamos atribuindo valores de 1-10 ou de forma mais simples o sinal + ou o sinal –

Tabela 1

Matriz de Decisão

Matriz de Decisão Critério 1

(ex: lucro)

Critério 2

(ex: imagem)

Critério 3

(ex: futuro)

Critério 4

(…)

Critério 5
Ideia 1
Ideia 2
Ideia 3
Ideia 4
Ideia 5

 

cadeia_de_excelencia.png

Cadeia de Excelência. Uma estrutura de pensamento que nos ajuda a mudar o nosso estado. Baseia-se no seguinte: o nosso estado é condicionado pelas as representações internas, os nossos pensamentos, as imagens e sons que temos na nossa cabeça, pelo o nosso foco; também a nossa fisiologia, a respiração, a postura, a forma como nos movemos, condicionam o nosso estado. Assim, se queremos mudar os nossos resultados, temos de mudar a nossa fisiologia e/ou o nosso foco, aquilo que pensamos e a forma como pensamos.