Jovem, alista-te no ensino!

Nota: O texto que se segue, foi retirado da p√°gina de Facebook de Augusta Faim.

Mas afinal o que √© que os st√īres l√° fazem na escola?
1- Fazem planifica√ß√Ķes a longo, m√©dio e curto prazo das suas aulas.
2- Definem critérios de avaliação
3- Dão aulas a quantos níveis for preciso ao mesmo tempo.
4- Corrigem testes.
5- Fazem forma√ß√Ķes fora do hor√°rio de trabalho. Estas forma√ß√Ķes ou s√£o interessantes e os professores t√™m de as pagar, ou s√£o com√≠cios gratuitos do Minist√©rio da Educa√ß√£o.
6- Medeiam conflitos entre alunos, alunos/ funcionários e também entre alunos e professores.
9- Medeiam conflitos entre pais e também entre professores e pais e pais/Direção.
12- Medeiam conflitos entre professores e Direção.
13- Sinalizam famílias à CPCJ.
14- Trabalham em colaboração com a CPCJ.
15- Ensinam Educa√ß√£o Sexual ou ouvem os enfermeiros do Centro de sa√ļde.
16- Tentam cumprir os programas.
17- Preparam aulas para vários níveis de ensino ao mesmo tempo.
18- Ensinam literacia financeira ou ouvem a senhora do banco.
19- Preparam superprodu√ß√īes televisivas para as aulas assistidas.
20- Publicam as evidências do seu trabalho no Facebook.
21- Preparam reuni√Ķes.
22- Presidem a reuni√Ķes.
23- Secretariam reuni√Ķes.
24- Conversam com os alunos no intervalo.
25- Fazem atas.
26- Fazem relatórios.
27- Preenchem grelhas.
28- Aturam forma√ß√Ķes-com√≠cio do ME, com as quais fingem entusiasmar-se.
29- Fazem também muitas tabelas.
30- Sinalizam alunos com dificuldades de aprendizagem, que depois monitorizam, com o preenchimento de in√ļmeros relat√≥rios, todos de elevado interesse para toda a gente.
31- Articulam o seu trabalho com a Associação de Pais e a Associação de Estudantes.
32- Decoram a escola.
33- Trabalham em articulação horizontal e vertical com os colegas.
34- Aprendem e usam as TIC, quanto mais melhor.
35- Fingem entusiasmar-se com projetos de abelhas, urubus e Kamishi J√° Vou.
36- Vigiam exames, depois de reuni√Ķes para ensinar a fazer isso mesmo- vigiar exames.
37- Educam para a Cidadania, incluindo a sustentabilidade.
38- Graças a Deus, convivem na sala de professores.
39 РCorrigem exames e provas de aferição.
40- Fomentam a realiza√ß√£o do maior n√ļmero poss√≠vel de reuni√Ķes, por exemplo A re√ļne com B, depois A re√ļne com C e B re√ļne com D, depois trocam e arranjam-se sempre novos padr√Ķes para novas reuni√Ķes.
41- Automonitorizam-se: registam tudo o que fazem a cada momento e longos estudos s√£o feitos a partir desse material, que, depois de bem analisado, originar√° novos estudos para os anos vindouros.
42- Instauram processos disciplinares, num longo e burocr√°tico processo, em tudo semelhante ao de um tribunal.
43- Nos intervalos os st√īres inspiram e expiram longa e pausadamente, v√°rias vezes.
44- Preparam os alunos para os exames.
45- Ensinam programação informática ou ouvem o senhor da universidade.
46- Ensinam prevenção rodoviária ou ouvem os senhores polícias.
47- D√£o aulas de apoio.
48- Ajudam outros professores nas suas aulas
49- Falam com os pais no horário de atendimento, ao telefone, por messenger, whatsapp ou outras loucuras do género.
50- Estudam com afinco o Regulamento interno, o Projeto Esucativo e outros documentos abstratos de elevada utilidade pr√°tica.
51- Utilizam in√ļmeras plataformas para registo de informa√ß√Ķes important√≠ssimas.
52- Dinamizam projetos.
53- Preparam visitas de estudo.
54- Preparam e dinamizam saídas de estudo.
55-Elaboram um documento exaustivo e de extrema import√Ęncia – PCT.
56-Atendem pais fora do seu hor√°rio de trabalho.
57- Preenchem documentos de sinalização de alunos para SPO, tutorias e outros apoios.
58- Avaliam colegas, tendo de fazer muitas vezes vários quilómetros no seu carro pessoal.
59- Voltam a contar até 10, a inspirar e expirar longa e profundamente, 5 vezes.
60- Fazem testes: diagnósticos, formativos, sumativos e de recuperação.
61- Almocam qualquer coisita no bar da escola.
62- Fazem entrevis√£o, assistem a longos conselhos pedag√≥gicos, articulam, colaboram, participam, t√™m aulas assistidas, devem ler dezenas de emails por dia com imensas solicita√ß√Ķes, fazem de enfermeiros e psic√≥logos, pagam por vezes o pequeno almo√ßo a algum aluno esfomeado, e por vezes s√£o amea√ßados dentro e fora da escola, e todos os anos aturam novas formas de ensinar, como se eles n√£o percebessem que √© mais do mesmo.
63- Corrigem testes em casa fora do hor√°rio de trabalho, nomeadamente aos fins de semana, quando deviam estar a descansar com a fam√≠lia. Pagam as despesas de desloca√ß√£o para a escola, muitas vezes a centenas de km de casa…
64- Fazem os testes , os critérios de avaliação, por vezes testes tb adptadas a turmas diferentes e alunos diferentes. Fazem tb exames que corrigem tb. Preparam aulas de laboratório, parte teorica e prática.
Corrigem cadernos diária e relatórios. E muitas vezes compram com o seu dinheiro material para lecionar, principalmente nas aulas práticas.
65- Fazem a autoavaliação do agrupamento e do projeto educativo.
66- Participam no Conselho Geral.
67- Nas paragens letivas, fazem turmas, horários, relatórios, balanços, balancetes e todos os documentos deste género que consigam imaginar.
68- Alguns dizem palavr√Ķes em voz baixa, outros preferem apenas ligar-se √† terra e respirar.
69- Recebem emails de todas as pessoas a título individual ou entidades que consigam imaginar, em TODOS os dias da semana a TODAS as horas que o dia tem.
70- Recolhem autoriza√ß√Ķes e pagamentos de fotografias dos alunos. Permitir que o fot√≥grafo monte uma banca na escola e fa√ßa ele esse servi√ßo, est√° fora de quest√£o!!!
71- No meio disto, t√™m de ouvir in√ļmeras vezes as perguntas: “Est√°s de f√©rias?’ e “Est√°s de folga?”.
72- Verificam se h√° algum risquinho ou dobra nos manuais do ano anterior, cada um com 200 p√°ginas.
73- Aqueles que s√£o crentes, rezam.
74- Procuram, em v√£o, perceber o que t√™m de ensinar aos seus alunos, cruzando a leitura dos documentos “Programa”, “Aprendizagens essenciais” e “Perfil do aluno √† sa√≠da da escolaridade obrigat√≥ria”.
75- Tamb√©m com o mesmo objetivo imposs√≠vel de saber o que devem afinal ensinar, fazem forma√ß√Ķes do ME sobre essa mat√©ria, mas n√£o chegam a conclus√£o nenhuma, porque se limitam a fazer exerc√≠cios abstratos de correspond√™ncia entre os tr√™s documentos, n√£o sabendo na mesma o que, na pr√°tica, devem ensinar.
76- Ent√£o os professores conversam um bocadinho com os funcion√°rios, para desanuviar.
77- Alguns nem nos intervalos conseguem inspiração, porque também têm de vigiar intervalos.
78- Quando estão para mudar de escalão, têm uma ótima avaliação, mas depois baixam-lhes a nota para não poderem subir. Vão para uma lista e engolem em seco.
79- Se por acaso o professor falhar nalguma das suas tarefas, os pais estão sempre prontos para fazer queixa à Direção, à DGAE e à DGESTE. Às vezes os professores levam também porrada dos alunos ou dos pais.
Quando os st√īres se queixam e fazem greve, os pais ficam em p√Ęnico, cai o Carmo e a Trindade e ningu√©m percebe o que √© que lhes deu.
MAS Jovem, vem! Vais ser um Super-Homem! Aprendes isto tudo e ainda ganhas mil euros (ou 500, se tiveres só meio horário). A lista de benesses é muito extensa, jovem! Podes conhecer melhor o teu país! Alista-te!
Nota: Na √≥tica dos pais, tudo o que se passa dentro da escola √© da responsabilidade da escola, pelo que esta lista √© atualiz√°vel diariamente pelos pais: por exemplo dar um comprimido a um aluno, ligar para casa a perguntar se est√° melhor, saber e monitorizar tudo o que se passa no balne√°rio do sexo oposto ao do professor, etc, etc….
Mas jovem, n√£o desistas! Esta flexibilidade vai tornar-te mais forte! A ideia para os st√īres √© a da resili√™ncia! Vem, junta-te a n√≥s!