Futebol – para que serve o verdadeiro treino de força?

As capacidades condicionais e as coordenativas não podem ser separadas uma vez que a força é imprescindível (para haver movimento tem de haver contração muscular e para haver contração muscular é necessário FORÇA). GARGANTA E SANTOS (2015)

Não existe treino de força para diferentes modalidades, existe apenas treino de força. Com ele conseguimos: DIMINUIR A PROBABILIDADE DE LESÃO E AUMENTAR O POTENCIAL DO ATLETA para realizar as técnicas específicas da modalidade. Um indivíduo mais forte, é um indivíduo mais capaz de realizar qualquer tipo de atividade de forma mais eficiente.

A força é a mais generalista de todas as adaptações atléticas. Todas as outras capacidades físicas dependem, em diversos graus, da produção de força dentro do ambiente físico.

Para lançar, passar, saltar, para ganhar segundas bolas, para vencer duelos 1×1, para a antecipação, para chegar mais rápido, necessitas força. O equilíbrio, a velocidade, a agilidade, têm por base a força. Até para teres mais confiança necessitas força.

Se a força melhora, todas as outras capacidades melhoram com ela.

Os desejos da passagem de ano

A passagem de ano é um motivo de festa. Para os que vivem no hemisfério sul é altura de férias grandes, de mudança de temporada desportiva, de… Verão! É mesmo algo muito marcante.
Para nós que iniciamos a temporada de trabalho em setembro, ou a temporada desportiva em julho/agosto, pode ser um momento de reflexão, de reformulação, de renovar energias.

Se recuarmos 5 ou 10 anos, todos tivemos afirmações do estilo:
Se… conseguir XXXX serei feliz!
Se… alcançar XXXX serei feliz!
Se… tiver XXXX serei feliz!
Se… fizer XXXX serei feliz!
Se…

Muitos dos XXXX foram alcançados. Ora pensa lá… Mas… Somos mais felizes por isso? Aprendemos algo? Ou apenas nos destruímos?

Ou simplesmente corremos atrás do próximo XXXX por sentirmos um vazio ou por estarmos perdidos? Ou será que não sabemos apreciar o que temos e o que somos?

Agora estamos na época do ano das afirmações: Se conseguir XXXX vou ser feliz!

Mas… a nossa existência é sermos felizes por simplesmente estarmos vivos. Somos uns sortudos!

Claro que queremos desfrutar da nossa existência na sua plenitude, formulamos desafios para andarmos mais excitados no dia a dia (porque temos as necessidades básicas asseguradas), porque queremos evitar depressões, porque achamos que correr atrás disso nos trará felicidade, mas… Vamos de novo indexar a felicidade a este modelo? Resulta?

Será apenas mais uma história que contamos a nós próprios para nos convencermos do valor que isso terá para uma vida mais feliz?

Será melhor termos o foco no caminho? Nas AÇÕES que eventualmente nos levarão a um lugar que imaginamos…

Aquilo que geralmente fazemos, é ter o foco no resultado e nunca apreciamos o caminho. Sem gostar do caminho, sem apreciar as acções que nos levam ao tal objetivo, fica muito dura a nossa existência. E quem criou essa dureza fomos nós.

Pensa nisso!