Quer comprar? As Vendas no Personal Training

976065_10201268692098741_454124000_o_14856834640_o– Compre! Compre! Compre! Diz um indivíduo com roupa de funeral. Mas o que está ele a vender? Não vejo produtos, nem sequer o vi trabalhar… O que será que ele faz? Nunca o vejo ajudar ninguém… Quer comprar?! Eu até comprava se percebesse o que ele me quer vender. Interrompe-me… Nem sabe o meu nome… As minhas necessidades… e quer vender-me um serviço que eu nunca vi executar?! Um cirurgião que nunca fez cirurgia… Hmm! Estranho… Desconfio!

Vender começa na sala de musculação, nas aulas de grupo, na piscina, na receção, desempenhando muito bem a nossa função. Tens de ser tão bom e famoso que as pessoas vão deixar os outros para te contratarem a ti.

Amigo que me queres vender o teu serviço de personal training: deixo-te umas ideias que podem iluminar o teu caminho.

Vender é um estado de confiança.

Vender começa com uma intenção, começa com um porquê, uma razão.

Vender é dizer: – vou conseguir…

Vender é ter objetivos específicos, mensuráveis e com uma data.

Vender é transmitir emoção ao falar, ao andar, ou quando subimos escadas.

Vender é natural.

Vender é estar em palco, é… Alta performance.

Vender é ensaiar, treinar procedimentos.

Vender é caminhar ao ritmo dos sócios.

Vender é escutar atentamente com acuidade sensorial.

Vender é falar ao ritmo do cliente.

Vender é ser eu próprio sem photoshop.

Vender é refletir num diário.

Vender é ter uma visão clara daquilo que queremos e rever essa visão diariamente.

Vender é dar muito mais antes de receber.

Vender é ser famoso.

Vender é informar sobre quem sou e o que faço.

Vender é comunicar benefícios do serviço que eu vendo.

Vender é procurar pessoas que tenham dinheiro para comprar ou algo para me dar em troca.

Vender é pensar que estamos sempre a vender, porque tudo aquilo que fazemos para criar uma relação comercial com alguém, é marketing.

Vender é fazer com que os outros digam que eu sou bom naquilo que faço.

Vender é usar o que se vende: treinar, comer e descansar da forma que advogamos…

Vender é acreditar no cliente quando o próprio cliente não acredita.

Vender é ser amigo.

Vender é contar estórias (evita contar aquela: – Estou desesperado, compre-me a mim!)

Vender são testemunhos. Cria o teu livro de testemunhos.

Vender é resolver problemas simples e monótonos.

Vender é melhorar todos os dias.

Vender é procurar pessoas.

Vender é dar espaço às pessoas.

Vender é criar escassez.

Vender é ser especialista (isso leva tempo… Uns 10 anos).

Vender é criar uma tribo com um interesse comum.

Vender é por os membros da tribo a comunicar entre si.

Vender é cuidar do espaço íntimo: proxémica.

Vender é controlar o treino: data, duração, séries, repetições, carga, intensidade.

Vender é manter o foco.

Vender é ser consistente.

Vender é ter um método.

Vender é receber como em casa.

Vender é chegar antes da hora.

Vender é defender uma causa.

Vender é ter ferramentas únicas.

Vender é reputação.

Vender é ensinar a outros treinadores aquilo que aprendeste.

Vender é ter uma rede de contactos que os outros não têm (e ter permissão para os contactar).

Vender saúde implica considerar o ser humano como um ser bio-psico-social.

Vender é encontrar serviços e produtos para os meus clientes.

Vender é cuidar da minha imagem.

Vender é sorrir.

Vender é bom hálito.

Vender é bom aroma.

Vender é saber tocar nos clientes (quando necessário).

Vender é arrumar.

Vender é limpar.

Vender é falar baixinho.

Vender é bailar.

Vender é cantar.

Vender é usar bem o diafragma.

Vender é observar.

Vender é escrever.

Vender é comunicar ao mundo com um blogue, um canal de vídeo, uma newsletter, de forma regular.

Vender é ler nas entrelinhas.

Vender é ser atraente.

Vender é estar disponível.

Vender é circular na sala.

Vender é fazer o carrossel: dar um pouco de atenção a todos os clientes.

Vender é agradecer: – Obrigado por ter vindo.

Vender é comprometer: – Quando é que o volto a ver?

Vender é ajudar sem intenção de receber.

Vender é semear.

Vender é regar.

Vender é acompanhar.

Vender é estar presente.

Vender é estar focado nos objetivos de tarefa mais do que nos objetivos de resultado.

Vender é ajudar a carregar e descarregar uma barra.

Vender é conhecer a história do fitness.

Vender é descobrir o historial do cliente.

Vender é conhecer pessoas.

Vender é um ato humano. O treino personalizado é um ato humano.

Vender é responder a necessidades.

Vender é arriscar.

Vender é estar informado.

Vender é saber aplicar.

Vender é saber ensinar.

Vender é respeitar as regras.

Vender é dominar ferramentas psicológicas.

Vender é liderar os grupos de pessoas.

Vender é criar dinâmicas no meu grupo de clientes.

Vender é viajar e conhecer outras práticas.

Vender é ler fora da zona de conforto.

Vender é conviver com pessoas diferentes daquelas com quem passo a maior parte do tempo.

Vender é escolher as pessoas com quem quero passar mais tempo.

Vender é aprender a gostar do processo.

Vender é pensar diferente.

Vender é ser congruente.

Vender é criar credibilidade.

Vender é ser genuíno.

Vender é ser humilde mas ambicioso.

Vender é agir de forma massiva.

Vender é fazer as coisas simples muito bem feitas com emoção.

Vender depende do nosso nome e o nosso nome é a nossa marca.

Vender não é passar o tempo a dizer eu sou bom: publicidade.

Vender não é meter medo.

Vender não é interromper.

Vender não é ser agressivo.

Vender não é fugir para as redes sociais.

Estamos sempre a vender.

Os melhores vendedores são clientes satisfeitos.

Se fores consistente nestas ações, mesmo nos dias que dormes pouco, mesmo com clientes chatos, mesmo quando o patrão anda irritado, mesmo quando os colegas não se comportam como esperavas, mesmo quando tudo é adverso… Então vais chegar facilmente ao processo de troca: a venda.

Mesmo que a carteira de clientes esteja cheia, tudo aquilo que fazemos poderá criar uma perceção no mercado que nos permitirá valorizar e conseguir novos clientes ou um conjunto de pessoas desejosas de nos conhecerem e recomendarem.

Cria o teu processo de controlo da tua ação de vendas: objetivo do dia, contactos, follow-ups, referências, visitas ao ginásio, vendas efetuadas.

Cuidado: se queres vender um serviço que supostamente melhora saúde, ajuda teres comportamentos saudáveis. Por isso recordo que: o alto rendimento é tão prejudicial quanto o sedentarismo.

Aviso: na maioria dos locais e infelizmente a maioria dos profissionais após o fecho da venda, abandona o cliente. A compra significa apenas uma permissão para desenvolver a relação com o cliente e fazer dele um amigo.

Agora chega de leitura e vai lá fazer deste mundo um local melhor com treinos honestos para pessoas reais.

Bons Treinos!

Home Gym – como montar um ginásio em casa

Kit-Minimalista

[15-100€ ou menos se não necessitarmos comprar ou fixar uma barra]
  • O teu peso corporal 🙂
  • Uma barra fixa (ex: PullupMate ; Equalizer embora este não dê para fazer elevações, dá para fazer puxadas ao peito)
  • Um cronómetro de pulso
  • Um caderno de registo de treinos

Podemos treinar somente com o peso corporal, mas irão faltar movimentos de puxar exigentes. Mas se, numa fase inicial tivermos de prescindir disso, só temos de compensar quando já tivermos uma barra e efetuar em proporção: 2 exercícios de puxar por cada um de empurrar. Claro que podemos sempre usar um parque fora de casa (são cada vez mais em Portugal; vejam o de Chaves).

Kit-Básico

[1000-2500€ ou menos se não comprar remo]

Estrutura de agachamento e elevações (Similar a S2 Squat ou Adidas). Também podem mandar fazer com um design similar. A segurança é fundamental e a altura que permita efetuar elevações e pendurar umas argolas também é importante.

Proteção de chão 

Inicialmente basta um retângulo de 240cm por 180cm ou simplesmente uns quadrados de borracha para colocar por baixo dos discos quando fazemos peso morto.

Argolas

Preferencialmente em madeira, não envernizada.

Barra olímpica

Existem barras cujo perímetro é 9cm, 9,5cm e quase 10cm, mas isso dependerá do tamanho da mão, logo convém fazer uma boa escolha por causa do agarre. A considerar também as zonas com relevo para melhor agarre (aquelas que possuem picotado no meio, são boas para agachamento, mas se quiserem fazer muitos cleans, a barra será “agressiva” junto ao pescoço. Há barras mais flexíveis, outras menos. Uma barra de 100€ não é barra para atirar ao chão. Aliás, a barra só se atira (no caso das barras de melhor qualidade) em caso da segurança ser comprometida ou estarmos a fazer cargas máximas. Barras vazias ou com pouco peso, nunca devem ser atiradas. Uma boa barra custa cerca de 250€. Mas com uma barra de 100, podem viver muitos anos a treinar sem problema algum.  Não aconselho barras em segunda mão, a não ser que conheçam bem o seu dono e a sua utilização.

Eis algumas barras com boa relação preço/qualidade/durabilidade que parecem estar a dar boa resposta no mercado (haverá mais exemplos, mas explorem um pouco):

  • As barras da York são interessantes. Não fossem eles pioneiros nisto 🙂
  • competition bar da boxpt
  • burgener-rippetoe-bar-2-0
  • Pude trabalhar com esta barra e esta que se comportaram muito bem durante anos num local com mais de 9000 visitas mensais à sala de musculação. Uma das smith machines com que trabalhei nesse local, tinha destas barras incorporadas.
  • Fica uma crítica de outro site para darem mais uma olhadela a boas opções

Discos

Os discos vão-se adquirindo conforme a força vai aumentando, mas é importante ter discos pequenos para os incrementos progressivos). Um kit básico seria:

2×1,25 2×2,5 2×5 2×10 2×15 2×20

Podem ser coloridos, revestidos a borracha ou não. Isso faz variar o preço. A média dos coloridos revestidos a borracha, ronda os 5€/kg. Sem revestimento, são cada vez menos comuns, embora possam ser mais baratos. Podem encontrar-se muitos em segunda mão. Os revestidos a borracha, é melhor comprar novos.

Remo

Neste caso pela durabilidade, a minha recomendação vai para um Concept2

Vale 1250€, mas podem encontrar alguns por 300€ e desde que a estrutura principal, os apoios de pés, o banco e o tambor com as pás esteja em bom estado, por cerca de 200€ podem mudar corrente, roda dentada, eixo e ficar com uma máquina quase nova. A Concept2, em Portugal através da Nautiquatro, tem um apoio muito bom em termos de serviço e respondem a todas as dúvidas.

Kettlebell

No caso de ser mulher a iniciar, recomendo 8kg, homens 12kg. Uma KB custa menos de 50€, mas comprem de competição porque dão para fazer todo o tipo de exercícios, enquanto as outras estão muito limitadas aos kettlebell swings.

Cinto

Serve para aumentar a pressão intra-abdominal quando usamos cargas próximas do máximo. Deve ser apertado ao ponto de dificultar uma dilatação e respiração abdominal. Se for possível ventilar com facilidade e fazer 15 repetições, é sinal de mau uso. A não ser que o queiram utilizar com fins estéticos.

Sapatos de agachamento

Kit-PT Studio

Um espaço destes, não necessita ser muito grande (20m2 ou mais em termos de espaço útil de treino; irá depender do número de pessoas a treinar em simultâneo). Para além da obra a realizar, mais o piso (a parte mais cara, embora não seja necessário cobrir todo o chão com um piso de amortecimento; pelo menos a zona da estrutura de agachamento deverá ficar coberta com esse tipo de piso; o resto de espaço poderá ter outro tipo de piso, sendo a relva artificial uma das opções). Algumas soluções:

Plataforma de levantamento (pode ser construída por nós com uma sobreposição de contraplacado).

Estrutura de agachamento com barra de elevações

Banco articulado

Barras

  • 1 de 20kg
  • 1 de 15kg
  • 1 de 10kg

Discos

Podemos duplicar o conjunto da opção básica anterior. Mas dependerá sempre do tipo de pessoas, do seu nível e do facto de treinarem em simultâneo mais do que uma pessoa.

Argolas

Kettlebells

  • 1 de 8kg
  • 1 de 12kg
  • 1 de 16kg

Halteres

  • 1-6 kg
  • 1 par de 7,5kg
  • 1 par de 10kg
  • 1 par de 15kg
  • 1 par de 20kg

Colchões

Que durem e não deslizem. 2 ou 3 serão suficientes.

Fitball

De boa qualidade se pretenderem usar com muita frequência, pois algumas rebentam com certa facilidade. Exemplos

  • 2 com medidas diferentes.

Elásticos

Um conjunto com várias intensidades. Exemplo

Caixa com diferentes alturas (para mais fácil acesso à barra e possíveis saltos para cima da mesma para alunos avançados).

Relógio/Cronómetro de Parede

Ar-condicionado 

Quadro para escrever

Adicionais:

Tudo dependerá do tipo de trabalho a efetuar e do tipo de público. Há pequenos materiais que custam menos de 50€. Mas, dos equipamentos mais dispendiosos, eventualmente poderá ser considerada a possibilidade. de adquirir:

  • Bicicleta de cycling (são robustas e algumas já têm monitor)
  • Passadeira (o trabalho ao ar-livre é sempre mais agradável, mas quando o clima não permite, poderá ser uma solução; neste caso, o motor e a robustez do material é o mais importante; o painel torna a máquina mais cara, por isso, deverá ser o mais simples possível; considerar também a assistência e a existência de peças).

Os valores apresentados são uma referência, mas tudo dependerá das escolhas e em alguns casos, das obras. No entanto, deveremos ser intransigentes na segurança. Nas listas podemos adicionar outras soluções, mas as que apresento, permitem treinar o iniciado e o atleta de alta competição. Coisas simples e muito bem feitas, são a solução. Material que está no mercado a produzir resultados (em alguns casos há mais de um século) são uma aposta segura. Não inventem! 🙂

Aqui ficam alguns links que recomendo:

Alguns destes nomes/marcas (peço desculpa se esqueci algum) pertencem às principais marcas/empresas com que trabalhei e cujos responsáveis até à data se mostraram pessoas prontas a dar resposta, a ajudar, estando na sua maioria no mercado há muitos anos; Portugal, devido à sua dimensão, não tem significado para as grandes marcas como A LifeFitness, a Technogym a Med-X ou outras, que optam por ter uma operação Ibérica ou Europa sem stocks nacionais.

Deixo-vos com o Kanabar HomeGym

Um dos locais particulares onde desenvolvo a minha atividade como personal trainer. Alguns materiais já existiam em casa, outros foram adquiridos propositadamente para o espaço.