Progressão de Carreira Para Um Personal Trainer

Para criar uma boa base de trabalho e conhecimento técnico a fim de ser um bom Personal Trainer – PT, recomenda-se que ganhem experiência inicial como instrutor de aulas de grupo, crossfit ou preferencialmente como instrutor de sala de musculação. Antes de escolheres este caminho difícil de liderar pessoas, deverias responder a questões como estas:

Quero ser personal trainer porque (razões que te movem)?

Quando eu deixar de ser personal trainer, eu gostaria de ser…

Ser personal trainer em que é que te ajudaria na atualidade?

Como pode a função de personal trainer ajudar-te no teu futuro?

Que habilidades interpessoais achas que deverias trabalhar?

Um percurso sólido para criares uma carreira como personal trainer, seria:

1. Iniciar como instrutor de sala 

Efetuar triagens de clientes, criar programas de treino iniciais, controlar técnicas de exercícios e intensidades, acompanhar o treino em sala efetuando o famoso carrossel (dar um pouco de atenção a todos os clientes), criar rapport e motivar os clientes, liderar a sala, colocar em ação a sua estratégia de marketing pessoal, utilizar o espaço na sala e cuidar de se posicionar em relação aos alunos, comunicar de forma verbal e não verbal adequadamente, treinar habilidades para uma comunicação de proximidade equilibrada  não invasiva e criar dinâmicas de grupos para gerar condições de fidelização. Recomenda-se uma formação prévia na área do exercício físico e saúde. Diria no mínimo 1500h de formação e pelo menos 500h dessas de estágio profissional como profissional do fitness, preferencialmente em sala de musculação porque permite muita interação individual com diversos tipos de clientes.

2. Aprendiz de personal trainer

Mais de 300h de sombra a personal trainers experientes com consentimento dos clientes. Após esse período, deveria passar cerca de 400h com casos de clientes mais generalistas, progredindo para clientes dentro da sua área de pretensa especialização.

3. Personal trainer

Findo esse tempo de formação inicial, já com uma definição mais clara da sua identidade como profissional e orientado para o público-alvo para o qual tem mais vocação e motivação, o personal trainer, terá agora melhores condições para um desempenho de sucesso.

Durante todo o processo de formação, recomenda-se o estudo destes 10 manuais:

ACSM [American College of Sports Medicine] (2017) Guidelines for Exercise Testing and Prescription. 10th Edition. Lippincott Williams & Wilkins.

Bandler, R., Alessio, R. e Fitzpatrick, O. (2013). The ultimate introduction to NLP: how to build a successful life. London: HarperCollins Publishers

Godin, Seth (2008). Tribos. Lisboa: Lua de Papel.

Godin, Seth (2011). Como se tornar indispensável. Lisboa: Lua de Papel.

Marieb, E. (2011). Essentials of Human Anatomy & Physiology, 10th Ed. San Francisco: Pearson.

Peters, T. (1999). Brand You 50: reinventing work. Knopf.

Rippetoe, M. (2011). Starting Strength: Basic Barbell Training, 3rd edition. Wichita Falls: Aasgaard Company.

Rippetoe, M. & Baker, A. (2014). Practical Programming for Strength Training. Wichita Falls: Aasgaard Company.

Sinek, S. (2017). Find your why. New York: Portfolio.

Sullivan, J.M. & Baker, A. (2016). The Barbell Prescription: Strength Training for Life After 40. Wichita Falls: Aasgaard Company.

Recordemos que o serviço de personal training é um serviço gourmet dos ginásios, logo, deverá ser levado à prática por profissionais com elevado nível de formação e experiência. Diz-se que para ser especialista numa função, necessitamos cerca de 10.000h de prática. Se queres ser bom e destacar-te da média e da mediocridade, há um caminho a percorrer.

Caixa de Ferramentas do Coach – Outros Recursos

Annesi, J. (1996). Enhancing exercise motivation. Los Angeles: Leisure Publications.

Babauta, L. (2016). FOCUS: A Simplicity Manifesto in the Age of Distraction. Founders House Publishing.

Bandler, R. (2010). Tenha agora a vida que quer. Lisboa: Lua de Papel.

Bandler, R., Alessio, R. e Fitzpatrick, O. (2013). The ultimate introduction to NLP: how to build a successful life. London: Harper Collins Publishers

Ben-Shahar, T. (2013). Em busca da perfeição. Lisboa: Lua de Papel.

Blanchard, K. e Shula, D. (1996). Everyone’s a Coach: Five Business Secrets for High-Performance Coaching. Zondervan Publishing House.

Carnegie, D. (1992). Como fazer amigos e influenciar pessoas. Porto: Civilização.

Carnegie, D. (1994). Como falar facilmente. Porto: Civilização.

Carvão, F. [Sua Mente]. Curso de PNL. Retirado de: http://site.suamente.com.br/curso-de-pnl-online/aula-07/.

Catalão, J. e Penim, A. (2011). Ferramentas de coaching. Lisboa: Lidel.

Cirulli, J. [Gainesville Health & Fitness Center]. (04.10.2011). Joe Cirulli: Never Give Up. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=v2xPPBck4ek

Clark, T. , Osterwalder, A. e Pigneur, Y. (2012). Modelo de negocio EU. Alfragide: Dom Quixote.

Coutu, D. e Kauffman, C. (2009). What Can Coaches Do for You? Harvard Business Review, Jan. Disponível em: http://www.drfinney.com/media/1005/hbr_article-what-coaches-can-do-for-you.pdf

Csikszentmihalyi, M. [TedXTalks]. (12.05.2011 ). Rules of Engagement. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=7e1xU0-h9Y8

Cudy, A. [TED.com]. (2012). Your body language shapes who you are. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.ted.com/talks/amy_cuddy_your_body_language_shapes_who_you_are

Dosil, J. (2002). Deporte, empresa y sociedad. Vigo: Editorial Universidad de Vigo.

Dosil, J. (2004). Psicología de la actividad física y del deporte. Madrid: McGraw-Hill.

Duró, E. [Ted Talks]. (12.03.2012). TEDxFundesem – Emilio Duró “Optimism in Difficult Times”. [Ficheiro em video]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=o89PSdx-L8I

Duhigg, C. (2012). O poder do hábito. Rio de Janeiro: Objetiva.

Eckhart, T. (2010). O poder do agora. Lisboa: Bertrand.

Gallwey, W.T. (2008). The Inner Game of Tennis: The Classic Guide to the Mental Side of Peak Performance. New York: Random House.

Gerson, R. (1999). Marketing health & fitness programs. Champaign: Human Kinetics.

Gerson, R. (1999). Members for life. Champaign: Human Kinetics.

Godin, Seth (2008). Tribos. Lisboa: Lua de Papel.

Godin, Seth (2011). Como se tornar indispensável. Lisboa: Lua de Papel.

Jarov, K. (1982). A vitória desportiva e a educação da vontade. Lisboa: Livros horizonte.

Hall, E. (1963). A system for the notation of proxemic behavior. American anthropologist, 65(5).

Hill, N. (2007). Think and grow rich. Radford: Wilder.

Krogerus, M. e Tschappeler, R. (2015). O livro das perguntas. Marcador.

Kuppers, V. [Ted Talks]. (12.10.2013). Actitud | Victor Küppers | TEDxAndorralaVella. [Ficheiro em video]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=nWecIwtN2ho

Lages, A. e O´Connor, J. (2004). Coaching com PNL. Qualitymark

Langer, E. J., Blank, A., e Chanowitz, B. (1978). The mindlessness of ostensibly thoughtful action: The role of “placebic” information in interpersonal interaction. Journal of Personality and Social Psychology36(6), 635–642. doi:10.1037/0022-3514.36.6.635

Lazarus, J. (2006). Ahead of the Game: How to Use Your Mind to Win in Sport. Cornwall: Ecademy Press.

Leipzig, A. [TedXTalks]. (02.02.2013). How to Know Your Life Purpose in 5 Minutes. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=vVsXO9brK7M

Lipton, B. (2016). The biology of belief. New York: Hay House.

Mazilli, J. (1996). Manual de Programação Neurolinguística. São Paulo: Edição do Autor.

McKenna, P. (2009). Mude a sua vida em sete dias. Lisboa: Lua de Papel.

McKenna, P. (2009b). Confiança instantânea. Lisboa: Lua de Papel.

McKenna, P. (2011). Controle o stress. Lisboa: Lua de Papel.

Michels, B. e Stutz, P. (2012). O Método. Oeiras: Albatroz.

Millburn, J. e Nicodemus, R. (2015). Essential: Essays by The Minimalists. Asymmetrical Press.

Morais, T. (2007). Compromisso: nunca desistir, 4ªed. Booknomics.

Neill, M. (2008). Chega aonde quiseres. Alfragide: Livros D’hoje.

Neill, M. (2011). Super coach. Alfragide: Livros D’hoje.

Noel, M. (2013). Seja o autor da sua vida. Amadora: Nascente.

Nogueira, D. (2010). Trate a vida por tu. Lisboa: Lua de Papel.

O’Connor, J. (2014). NLP and sports (versão kindle). Retirado de: http://www.amazon.com

O´Connor, J. e Lages, A. (2007). How Coaching Works: The Essential Guide to the History and Practice of Effective Coaching. London: A & C Black.

Olmedilla, A., Garcés de los Fayos Ruiz, E., Nieto García, G. (2002). Manual de psicología del deporte. Murcia: DM.

Peale, N. V. (1952). The power of positive thinking. New York: Fireside.

Penim, A. e Catalão, J. (2017). Ferramentas de team coaching. Lisboa: Lidel.

Pérez, J. (2009). Coaching para docentes. Porto: Porto Editora.

Peters, T. (1999). Brand You 50: reinventing work. Knopf.

Petruzzi, J. (2011). Excel at sports: Be the Best at Sports, Business & Life with NLP Neuro Linguistic Programming. Eastbourne: Dragon Rising.

Porter, K. [The University of Scranton]. (18.11.2009). The mental athlete. [Ficheiro em video]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=Ko0TdGdcXyw

Robbins, A. (2012). O poder sem limites. Pergaminho.

Robbins, A. [John White]. (20.09.2013). Ten fundamental keys to effective presentation and persuasion. [Ficheiro em video]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=6V3JffnkUuM

Robbins, A. [TED.com]. (2006). Why we do what we do. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.ted.com/talks/tony_robbins_asks_why_we_do_what_we_do

Robbins, M. (2017). The 5 Second Rule: Transform Your Life, Work, and Confidence with Everyday Courage. Savio Republic.

Rohn, J. (2003). One-year success plan [CD].

Santos, G. (2014). Agarra o agora. Lisboa: Esfera dos livros.

Sinek, S. (2009). Start with why: how great leaders inspire everyone to take action. New York: Portfolio.

Sinek, S. (2017). Find your why. New York: Portfolio.

Sinek, S. [TED.com]. (Setembro 2009). How great leaders inspire action. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.ted.com/talks/simon_sinek_how_great_leaders_inspire_action

SPARC (2001). Public relations. Retirado de: http://www.sportnz.org.nz/en-nz/communities-and-clubs/

SPARC (2001). Strategic leadership. Retirado de: http://www.sportnz.org.nz/en-nz/communities-and-clubs/

SPARC (2002). Marketing and public relations. Retirado de: http://www.sportnz.org.nz/en-nz/communities-and-clubs/

SPARC. Tips for coaches. Retirado de: http://www.sportnz.org.nz/Documents/Communities%20and%20Clubs/Clubkit/tips_coach.pdf

Treasure, J. [TED.com]. (2013). How to speak so that people want to listen. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.ted.com/talks/julian_treasure_how_to_speak_so_that_people_want_to_listen

Urban, T. [TED.com]. (2016). Inside the mind of a master procrastinator. [Ficheiro em vídeo]. Retirado de: https://www.ted.com/talks/tim_urban_inside_the_mind_of_a_master_procrastinator

Vipassana (2014). About. Retirado de: http://www.dhamma.org/pt/about/vipassana.

Whitmore, J. (2009). Coaching for Performance: GROWing Human Potential and Purpose – The Principles and Practice of Coaching and Leadership, 4th Edition. London: Nicholas Brealey Publishing.

Whitmore, J. [Ted Talks]. (07.02.2013). Cleverly Connected: Sir John Whitmore at TEDxCheltenham. [Ficheiro em video]. Retirado de: https://www.youtube.com/watch?v=6fld90L6Hkw

Williams, R. (2008). PSYCH-K … The Missing Piece Peace in Your Life!. Crestone: Myrddin Publications.

Yang, Y., Baker, S., Kannan, A. e Ramanan, D. (2012). Recognizing Proxemics in Personal Photos. 2012 IEEE Conference on Computer Vision and Pattern Recognition. Disponível em: https://www.cs.cmu.edu/~deva/papers/proxemics_2012.pdf

Caixa de Ferramentas do Coach – Mapa do Tesouro

Resumindo o Plano de Ação Para o Sucesso

Podemos utilizar diversas ferramentas num processo de coaching, mas o caminho para o sucesso, independentemente da abordagem ou ferramentas utilizadas, irá passar pelos seguintes passo: 1.VISÃO clara daquilo que pretendemos. 2. Encontrar um PORQUÊ que nos emocione. 3. Ter um MÉTODO. 4. AÇÃO (em vez de observar, agir de forma massiva). Colocar tarefas agendadas no calendário. 5. FOCO (rever objetivos frequentemente) 6. Utilizar um DIÁRIO (porque todas as pessoas de sucesso usam; é uma ferramenta terapeutica e é o dispositivo de DISCIPLINA/CONTROLO).

Mapa do Tesouro.

Este título é apenas uma metáfora para descrever o processo para chegar ao objetivo. Podemos chamar-lhe caminho (já é uma metáfora) ou podemos dizer que é um conjunto de tarefas, ou um conjunto de ações, ou… “O mapa do tesouro!” Soa melhor, certo? Este pode ser considerado o objetivo final de uma sessão de coaching: um plano de ação criado pelo cliente, com a ajuda do coach, ou seja, um mapa do tesouro (um conjunto de processos em direção ao objetivo de resultado definido inicialmente pelo cliente).

Aplicar uma abordagem de coaching na relação professor-aluno ou treinador-atleta vai equilibrar e certamente melhorar a comunicação e a probabilidade de êxito do processo de treino. As pessoas podem descobrir as soluções para os seus desafios e criar um plano de ação com maior probabilidade de execução.