Desportistas profissionais e redes sociais – Linhas de orientação

By: Jason Howie

Definir Objetivos

Primeiro o treinador ou jogador terá de começar por definir o seu objetivo de comunicação nas redes sociais. Exemplos:

  1. Ganhar notoriedade;
  2. Atrair os media;
  3. Construir uma marca;
  4. Criar determinada reputação;
  5. Conseguir fans;
  6. Inspirar e motivar;
  7. Partilhar experiências;
  8. Expor-se para mostrar patrocinadores;
  9. Dar de volta;
  10. Criar uma opinião pública em torno de alguém ou de algo.

Linha de Privacidade

Definir claramente até onde está disposto a expor a sua vida privada.

Decidir o que colocar no perfil pessoal.

Este deverá estar de acordo com o objetivo inicial de comunicação.

Escolher as plataformas

Escolher as plataformas e decidir que tipo de conteúdo a publicar em cada uma. Por exemplo: podemos publicar citações e imagens no instagram, utilizar o twitter para comunicar com os fans e criar maior interação, o facebook para gerar discussão, o youtube para videos…

Acalmar antes de publicar.

Uma vez que os eventos desportivos envolvem muita emoção, será conveniente esperar pelo menos 24h após um “incidente” antes de publicar algo sobre o assunto.

Conteúdo

Como se costuma dizer: o conteúdo é rei! A produção de conteúdo é fundamental quando andamos pelas redes sociais. Passamos muito tempo a consumir e melhor seria passar 80% do tempo a produzir e publicar conteúdo e os restantes 20% a consumir. Dependendo do objetivo: citações, fotos, vídeos, clarificar situações, histórias, exemplos, inquéritos, opiniões, etc.

Consistência a publicar

Para maior eficácia, recomenda-se 5 a 20 publicações diárias para conseguir atenção.

Rotina

Definir uma rotina, um tempo de trabalho diário nas redes sociais.

80/20

Manter uma relação de publicações: 80% para a audiência 20% sobre nós, irá mostrar à audiência o objetivo anteriormente definido.

Partilhar media

Fotos, vídeos, documentos, criam impacto forte nas redes sociais.

Ter um conjunto de histórias de reserva para publicar a qualquer altura

Quando temos um pouco mais de tempo disponível, é bom produzir mais conteúdo a fim de ter como reserva para alturas em que necessitamos criar mais impacto e alturas em que não dispomos de tanto tempo para criar conteúdos.

Criar um website

Criar um espaço onde possamos ter alguma informação institucional/pessoal, local onde se controle melhor a informação produzida, pois nas redes sociais, na generalidade, perdemos um pouco o rasto ao passado das publicações.

Ter uma câmara

Uma ferramenta que facilite as publicações, é importante para a qualidade das publicações, mas um telemóvel também serve e estará sempre disponível para momentos únicos.

Conhecer as regras

Fundamental conhecer as regras do clube ao qual estamos ligados bem como a federação da modalidade, sobre este tipo de comunicação nas redes sociais, para estarmos alinhados e sermos bem interpretados.

Responder aos comentários

Essa é a forma de criar verdadeiros laços e interação.

Se não tens coragem…

De dizer ou mostrar isso a um dirigente, pai, adepto, árbitro, treinador ou jogador em direto, então não publiques online.

Vestir a camisola.

Se representas um clube, uma escola, um ginásio, uma associação, mostra isso no teu perfil e nas publicações que fazes.

Dar! Dar! Dar!

Se queremos receber em troca elogios, ou ter fans, ou ter algum tipo de reconhecimento, ou que nos comprem, algo, primeiro temos de dar e dar e dar informação, ajuda, e partilhar para mais tarde receber.

PARTICULARIDADES dos TREINADORES

Se os atletas são menores, cuidado com os conteúdos e evitar mensagens privadas. Preferir tudo em grupo e público.

Decidir se mantemos uma conta pessoal/profissional ou se criamos várias.

Criar um código de conduta para as redes sociais relacionado com os valores da equipa e partilhar dentro do clube.

Marketing pessoal. Como tudo aquilo que fazemos é marketing, tudo o que fazemos pode aproximar ou afastar potenciais clientes, as redes sociais têm enorme potencial nesta área.

Usar as redes sociais para criar espírito de equipa.

Decidir sobre um tempo de “black-out” de 30-60 minutos antes e após um evento (jogo) para que os atletas se concentrem no evento e por outro lado para que após o jogo se acalmem antes de publicar alguma coisa.

Objetivos

Eugene Sandow
Eugene Sandow (Photo credit: George Eastman House)

Depois de saberem o que eu penso sobre como abordar o treino aqui, ou seja, em Grande. Convém saber o porquê de queremos treinar da maneira A, B, C ou Z.

Para isso é fundamental definir um objetivo para nós. Por muito fácil que possa parecer, garanto-vos por experiência própria que não é.

No post anterior falei em ser ‘Grande’, mas isso pode ter diferentes interpretações. No entanto a maior parte dos meus alunos, dizem-me que o objetivo deles é ser Grande, ou ser Maior, ou ser mais Forte, ou ser mais Magro. Será que isso delimita o nosso objetivo?! Para termos sucesso temos de investir um bocado de tempo nisto para depois não descobrirmos que andamos 1 ano inteiro a treinar (poucos são os que conseguem, mas acredito que vocês vão conseguir) e no fim o nosso objetivo afinal não era bem aquele… Querem um exemplo?

Objetivo – ‘Eu quero ser forte como um Powerlifter.’ Não está mau, já define pelo menos uma característica, aponta um modelo de atleta, uma metodologia de treino.

Depois de definido o objetivo, há que traçar o plano de treino, alimentação e descanso e para isso vamos ter com alguém que perceba do assunto, mas se estivermos num ginásio que não tem ninguém com essa capacidade ou simplesmente queremos fazer as coisas por nós, vamos ver a rotina normal de um Powerlifter e vamos tentar aplicá-la no nosso treino. No entanto, passado 2 meses depois de começar a treinar, comer e a descansar para o objetivo que tínhamos definido, começamos a cortar na alimentação… Porquê? Porque os abdominais não estão à mostra!!!!!!! (isto é verdade, já aconteceu várias vezes).

Pois, afinal de contas não queríamos ser fortes como Powerlifter, porque para seguir aquela rotina de treino e para atingir aquelas marcas não nos podemos importar com uma percentagem de gordura acima dos 20%. Um Powerlifter tem extrema força abdominal (mais que os comuns mortais que somos nós), não me interpretem mal, mas simplesmente não se incomoda com o facto de não ter o ‘6-Pack’ a mostra para desfilar na praia ou para colocar fotografias no facebook…

Acham que o Jay Cutler se preocupa com a maneira como a roupa lhe fica, ou com o tempo que ele faz aos 10km, ou com o peso que levanta no Supino? O objetivo dele é Bodybuilding e é para isso que ele treina. Se realmente têm um objetivo como esse (ser culturista profissional ou fazer os 10km em 36minutos ou levantar 300kilos de peso morto ou ter 6% de massa gorda ou pesar 120kg ou ter 50cm de braço) lembrem-se que vão ter de abdicar de outras coisas. Não dá para ser tudo. A pergunta é, será que estão dispostos a abdicar delas?

Sei que não é fácil definir o que se quer, sei que não saber o que queremos de forma assim tão específica é comum e não há nenhuma tragédia nisso desde que se comecem a tomar algumas medidas para evitar que isso se prolongue.

Pelo menos comecem a delimitar o vosso caminho. Saibam que se seguirem por aqui o resultado será aproximado de X, mas se seguirem por ali o resultado será aproximado de Y. Caminhar sem rumo é que não dá, simplesmente não dá…

Bem, espero ter-vos confundido ainda mais e pelo menos ter despertado algumas questões que vos possam ajudar. No fim vocês vão agradecer terem investido este tempo em definir o vosso objetivo, porque é essa definição que vos vai guiar.