Agachamento e futebol

O agachamento é um movimento que praticamente nasce connosco. Reparem nas crianças de 1-3 anos: brincam na posição de agachamento, apanham objetos realizando o agachamento com o peso no meio do pé, os joelhos alinhados pela ponta dos pés e podem efetuar esse movimento centenas de vezes ao dia.

Para sentar e levantar, usamos o agachamento. Aliás, quando envelhecemos e perdemos essa competência por falta de uso, uma das progressões que usamos é: sentar e levantar de uma cadeira/sofá.

woman gardening
Photo by Dominika Roseclay on Pexels.com

Para ir ao wc, usamos o agachamento e se queremos ser saudáveis, o melhor é fazer como algumas sociedades africanas e asiáticas e procurar usar o agachamento para alguns momentos a trabalhar, descansar e ir ao wc. Isso permite elevados índices de flexibilidade e muito mais força nas coxas e glúteos, fazendo com que, em idades mais avançadas não tenham quedas tão frequentes e prolonguem a sua independência motora.

No agachamento mobilizamos os músculos das pernas, coxas, anca, e quando colocamos peso acima das costas, a cintura e o tronco têm de estabilizar a carga, produzindo por isso muita tensão e promovendo o seu desenvolvimento muscular.

O Impacto metabólico de efetuar três séries de cinco repetições com uma carga muito elevada, é tão poderoso que nos faz melhorar em todos o outros exercícios.

O futebol é um desporto de contacto e uma modalidade das que maiores índices de lesão tem por hora de prática e praticante. Dois corpos de 80kg em movimento, quando chocam, podem produzir forças bastante elevadas se recordarmos que a força = massa x aceleração.

Uma das grandes vantagens de ter um bom agachamento, é reduzir o risco de lesão. Por bom, queremos dizer que respeite tecnicamente a anatomia, as leis da física e seja efetuado na maior amplitude de movimento eficaz possível. Por bom, queremos dizer que o indivíduo seja capaz de agachar com 1,5 a 2 vezes o seu peso corporal para várias repetições. Se é profissional, certamente mais do que 1,5 vezes. Quantos jogadores profissionais de futebol de 75kg de peso agacham meia dúzia de repetições com mais de 110kg em amplitude total de movimento? Aqueles que têm essa capacidade, têm músculos mais fortes, mais resistentes e mais flexíveis. Têm ossos mais fortes porque, é nestes onde se inserem os músculos e para que se regenerem, para que se fortaleçam, necessitam carga, necessitam que seja aplicada uma força sobre eles. O agachamento não tem o impacto dos saltos, é efetuado de forma controlada de acordo com as funções musculares e articulares, por isso é uma excelente forma de fortalecer o corpo e assim prevenir lesões. Um corpo mais forte tem um potencial maior para trabalhar, para correr, passar, centrar, saltar, rematar com mais potência, durante mais tempo e com mais eficácia.

Começamos por agachar com o peso do corpo e quando conseguirmos efetuar 20 ou 30 repetições consecutivas com boa técnica em amplitude total de movimento, podemos passar a adicionar carga. A forma mais simples, comprovada e usada há um século, é a barra.

A maioria dos futebolistas ainda nem começaram, por isso imaginem o potencial de desenvolvimento, de evolução que o jogador de futebol tem. Quando fizerem como os jogadores de rugby, os basquetebolistas da NBA, os jogadores de futebol americano ou a malta do atletismo, penso que o reflexo no jogo e na capacidade funcional será incrível.

No futebol, para passar, centrar, saltar e rematar, necessitamos de força no trem inferior. Por isso, tal como para a vida e no desporto em geral, o agachamento é o companheiro número um para quem quer ser forte e flexível. Um programa de treino de força ou de prevenção de lesão sem agachamento, é de utilidade muito duvidosa, porque o agachamento é um exercício com elevado estímulo muscular e metabólico que podemos fazer com material simples e duradouro.

Quer comprar? As Vendas no Personal Training

976065_10201268692098741_454124000_o_14856834640_o– Compre! Compre! Compre! Diz um indivíduo com roupa de funeral. Mas o que está ele a vender? Não vejo produtos, nem sequer o vi trabalhar… O que será que ele faz? Nunca o vejo ajudar ninguém… Quer comprar?! Eu até comprava se percebesse o que ele me quer vender. Interrompe-me… Nem sabe o meu nome… As minhas necessidades… e quer vender-me um serviço que eu nunca vi executar?! Um cirurgião que nunca fez cirurgia… Hmm! Estranho… Desconfio!

Vender começa na sala de musculação, nas aulas de grupo, na piscina, na receção, desempenhando muito bem a nossa função. Tens de ser tão bom e famoso que as pessoas vão deixar os outros para te contratarem a ti.

Amigo que me queres vender o teu serviço de personal training: deixo-te umas ideias que podem iluminar o teu caminho.

Vender é um estado de confiança.

Vender começa com uma intenção, começa com um porquê, uma razão.

Vender é dizer: – vou conseguir…

Vender é ter objetivos específicos, mensuráveis e com uma data.

Vender é transmitir emoção ao falar, ao andar, ou quando subimos escadas.

Vender é natural.

Vender é estar em palco, é… Alta performance.

Vender é ensaiar, treinar procedimentos.

Vender é caminhar ao ritmo dos sócios.

Vender é escutar atentamente com acuidade sensorial.

Vender é falar ao ritmo do cliente.

Vender é ser eu próprio sem photoshop.

Vender é refletir num diário.

Vender é ter uma visão clara daquilo que queremos e rever essa visão diariamente.

Vender é dar muito mais antes de receber.

Vender é ser famoso.

Vender é informar sobre quem sou e o que faço.

Vender é comunicar benefícios do serviço que eu vendo.

Vender é procurar pessoas que tenham dinheiro para comprar ou algo para me dar em troca.

Vender é pensar que estamos sempre a vender, porque tudo aquilo que fazemos para criar uma relação comercial com alguém, é marketing.

Vender é fazer com que os outros digam que eu sou bom naquilo que faço.

Vender é usar o que se vende: treinar, comer e descansar da forma que advogamos…

Vender é acreditar no cliente quando o próprio cliente não acredita.

Vender é ser amigo.

Vender é contar estórias (evita contar aquela: – Estou desesperado, compre-me a mim!)

Vender são testemunhos. Cria o teu livro de testemunhos.

Vender é resolver problemas simples e monótonos.

Vender é melhorar todos os dias.

Vender é procurar pessoas.

Vender é dar espaço às pessoas.

Vender é criar escassez.

Vender é ser especialista (isso leva tempo… Uns 10 anos).

Vender é criar uma tribo com um interesse comum.

Vender é por os membros da tribo a comunicar entre si.

Vender é cuidar do espaço íntimo: proxémica.

Vender é controlar o treino: data, duração, séries, repetições, carga, intensidade.

Vender é manter o foco.

Vender é ser consistente.

Vender é ter um método.

Vender é receber como em casa.

Vender é chegar antes da hora.

Vender é defender uma causa.

Vender é ter ferramentas únicas.

Vender é reputação.

Vender é ensinar a outros treinadores aquilo que aprendeste.

Vender é ter uma rede de contactos que os outros não têm (e ter permissão para os contactar).

Vender saúde implica considerar o ser humano como um ser bio-psico-social.

Vender é encontrar serviços e produtos para os meus clientes.

Vender é cuidar da minha imagem.

Vender é sorrir.

Vender é bom hálito.

Vender é bom aroma.

Vender é saber tocar nos clientes (quando necessário).

Vender é arrumar.

Vender é limpar.

Vender é falar baixinho.

Vender é bailar.

Vender é cantar.

Vender é usar bem o diafragma.

Vender é observar.

Vender é escrever.

Vender é comunicar ao mundo com um blogue, um canal de vídeo, uma newsletter, de forma regular.

Vender é ler nas entrelinhas.

Vender é ser atraente.

Vender é estar disponível.

Vender é circular na sala.

Vender é fazer o carrossel: dar um pouco de atenção a todos os clientes.

Vender é agradecer: – Obrigado por ter vindo.

Vender é comprometer: – Quando é que o volto a ver?

Vender é ajudar sem intenção de receber.

Vender é semear.

Vender é regar.

Vender é acompanhar.

Vender é estar presente.

Vender é estar focado nos objetivos de tarefa mais do que nos objetivos de resultado.

Vender é ajudar a carregar e descarregar uma barra.

Vender é conhecer a história do fitness.

Vender é descobrir o historial do cliente.

Vender é conhecer pessoas.

Vender é um ato humano. O treino personalizado é um ato humano.

Vender é responder a necessidades.

Vender é arriscar.

Vender é estar informado.

Vender é saber aplicar.

Vender é saber ensinar.

Vender é respeitar as regras.

Vender é dominar ferramentas psicológicas.

Vender é liderar os grupos de pessoas.

Vender é criar dinâmicas no meu grupo de clientes.

Vender é viajar e conhecer outras práticas.

Vender é ler fora da zona de conforto.

Vender é conviver com pessoas diferentes daquelas com quem passo a maior parte do tempo.

Vender é escolher as pessoas com quem quero passar mais tempo.

Vender é aprender a gostar do processo.

Vender é pensar diferente.

Vender é ser congruente.

Vender é criar credibilidade.

Vender é ser genuíno.

Vender é ser humilde mas ambicioso.

Vender é agir de forma massiva.

Vender é fazer as coisas simples muito bem feitas com emoção.

Vender depende do nosso nome e o nosso nome é a nossa marca.

Vender não é passar o tempo a dizer eu sou bom: publicidade.

Vender não é meter medo.

Vender não é interromper.

Vender não é ser agressivo.

Vender não é fugir para as redes sociais.

Estamos sempre a vender.

Os melhores vendedores são clientes satisfeitos.

Se fores consistente nestas ações, mesmo nos dias que dormes pouco, mesmo com clientes chatos, mesmo quando o patrão anda irritado, mesmo quando os colegas não se comportam como esperavas, mesmo quando tudo é adverso… Então vais chegar facilmente ao processo de troca: a venda.

Mesmo que a carteira de clientes esteja cheia, tudo aquilo que fazemos poderá criar uma perceção no mercado que nos permitirá valorizar e conseguir novos clientes ou um conjunto de pessoas desejosas de nos conhecerem e recomendarem.

Cria o teu processo de controlo da tua ação de vendas: objetivo do dia, contactos, follow-ups, referências, visitas ao ginásio, vendas efetuadas.

Cuidado: se queres vender um serviço que supostamente melhora saúde, ajuda teres comportamentos saudáveis. Por isso recordo que: o alto rendimento é tão prejudicial quanto o sedentarismo.

Aviso: na maioria dos locais e infelizmente a maioria dos profissionais após o fecho da venda, abandona o cliente. A compra significa apenas uma permissão para desenvolver a relação com o cliente e fazer dele um amigo.

Agora chega de leitura e vai lá fazer deste mundo um local melhor com treinos honestos para pessoas reais.

Bons Treinos!