Visualização Mental no Treino de Força

A visualização é uma ferramenta de treino mental que só funciona quando usada com regularidade. É como fazer flexões de braços: se fizermos uma vez de dois em dois meses, dificilmente iremos obter todos os benefícios deste estimulante movimento.

Por me encontrar numa fase de grande agitação mental, mudança e frequente sensação de falta de controlo (stress), hoje resolvemos adicionar o controlo da frequência cardíaca ao treino de força com visualização.

A frequência cardíaca aumenta por fatores “mecânicos” e fatores “emocionais”. Está tudo interligado: os pensamentos, as representações internas, o nosso foco afeta o nosso ESTADO e a nossa fisiologia, as hormonas, a respiração e forma como movemos o corpo também afeta o nosso ESTADO.

Durante este treino pesado (para os meus standards) usamos a rotina habitual:

  1. Repetição ou antecipação mental da série seguinte, desde o setup inicial até colocar a barra de volta na rack.
  2. Colocação do cinto.

  3. Inicio da série.

  4. Descanso sentado.

  5. Visualização do vídeo da série realizada.

Noutros treinos, durante o descanso, antes da repetição mental, visualizamos um vídeo de técnica modelo. Mas não foi o caso de hoje.

Idade 48 e 7 meses

Peso corporal matinal sem roupa na balança habitual: 78,6kg

Pressão arterial ao levantar 69-100

FC 42

No ginásio

FC em repouso 84

FC durante as séries de aquecimento 104-134

Agachamento 5×80 5×95 4x5x112,5

FC nas últimas 4 séries

104-154

132-158

118-158

118-162

Supino 5×30 5×50 4x5x72,5

112-150

110-135

92-140

99-148

Peso morto

5×110 4×130 5×142,5

125-151

124-152

144-168

Tempo Total de Treino 1h06m36s

FC Média 112

FC Máxima 169

Pressão arterial 10′ após o treino:

71-108

FC 62

Supostamente, antes da repetição mental, a FC deveria ser inferior, porque este trabalho acaba por criar uma ativação de estado. No entanto, em algumas séries, sobretudo durante a realização do supino, devido a certos pensamentos, a FC em repouso era superior à verificada após a repetição mental.

Nota-se em algumas séries um excesso de ativação por vezes resultantes de alguns receios, alguma dúvida. Ou seja, um FOCO NO FUTURO (NO OBJETIVO DE RESULTADO), em vez do FOCO NO PRESENTE (NO OBJETIVO DE TAREFA/PROCESSO).

É sempre um grande DESAFIO, treinar a mente a FOCAR NO POSITIVO durante a visualização e antes da execução a luta contra a dúvida técnica que resulta da falta de confiança, a qual por sua vez, é resultado do foco temporário em alguns processos do passado.

Sem dúvida que podemos utilizar a internet em busca de modelos positivos e de dicas de treino, mas a excessiva comparação, a demasiada verbalização e auto-crítica, podem prejudicar a performance. Isto leva-me cada vez mais a concluir que, com pessoas como eu, a dieta de informação 🙂 e os diários e vídeos pessoais de treino podem ser muito importantes no processo de exercício físico.

https://www.youtube.com/watch?v=YAfxakMzIAg